Rio de Janeiro - RJ - Brasil.                                                                         
Untitled Document
Página inicial
                 Blog                 
Artigos e comentários do Dr. Carlos Antônio da Costa
GO com . ponto - Declaração Legal e Política de Privacidade.
  Protocolo de Intenções de "GO com . ponto"
Última atualização: 
23.06.2008  10:58 PM 

Dr. Carlos Antônio
da Costa
TEGO 035-79
AMB / FEBRASGO

          Promover a Saúde da Mulher é o principal objetivo deste site.
         A  Organização Mundial de Saúde define o termo saúde como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não meramente a ausência de doença ou enfermidade" . Ao aplicarmos esta definição à condição feminina, nosso objetivo atinge proporções gigantescas, que o aproximam do idealismo utópico, pelos seguintes motivos:
        O completo bem-estar físico da mulher requer cuidados que antecedem à sua própria concepção e que devem perdurar por toda a existência. A herança genética dos pais; a influência dos fatores ambientais e microbianos no período fetal; a assistência médica recebida durante a fase intra-uterina; o nível de oxigenação cerebral no nascimento; as condições de higiene e nutrição - desde o primeiro dia de vida até a velhice -; a profilaxia das enfermidades infecciosas próprias da infância; o acesso (sem discriminação de classe social) à educação sanitária e a todos os recursos tecnológicos - diagnósticos e terapêuticos - da medicina moderna; a inclusão em programas permanentes de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (AIDS), do câncer do colo do útero e das mamas; o direito à assistência profissional qualificada no planejamento familiar, no acompanhamento gestacional, na infertilidade conjugal e no climatério; o hábito da atividade física, da ginástica e do esporte, como objeto de laser, e o direito de receber um tratamento digno quando acometida pelas doenças degenerativas na idade avançada são alguns itens fundamentais a serem considerados.

         O completo bem-estar mental da mulher , além de depender de estruturas cerebrais e sensoriais fisiologicamente saudáveis, está vinculado às relações afetivas que ela estabelece consigo mesma (auto-estima), com o seu corpo (auto-imagem) e com todas as pessoas que fizeram ou fazem parte da sua história de vida. Para alguns, as primeiras experiências emocionais ocorrem durante o crescimento intra-uterino, pois acredita-se que os sentimentos maternos possam ter influência sobre o feto em desenvolvimento. O momento da chegada ao mundo exterior é tido como um episódio traumático, não apenas pelas rápidas adaptações nutricionais e respiratórias, mas também pela quantidade e intensidade de estímulos - luminosos, sonoros, térmicos, táteis, etc. - até então desconhecidos. Algumas técnicas, como a de Leboier e a do parto subaquático, foram criadas para diminuir o impacto deste evento sobre o recém-nascido, tornando mais suave a transição para o meio externo. A interdependência afetiva do binômio mãe-filha reforça-se com a amamentação. Da infância à puberdade, amplia-se a interação psico-emocional com o núcleo familiar, cujos padrões sócio-econômicos, culturais e religiosos refletem-se no delineamento da personalidade da menina que, a cada dia, adquire traços específicos e únicos. Este ambiente social poderá interferir positiva ou negativamente sobre a saúde mental na adolescência, quando, sob o influxo dos hormônios ovarianos, o corpo jovem adquire formas de mulher, impondo drásticas mudanças de comportamento. A primeira menstruação é um marco indelével por representar, simultaneamente, um compromisso biológico com a reprodução e uma reafirmação da identidade sexual (promessa de interação com o universo físico, psíquico e social masculino). A influência anímica dos hormônios também ocorre na síndrome da tensão pré-menstrual, nas gestações, na amamentação e na menopausa - cenários de conflitos íntimos e de sentimentos ambíguos -, porquanto estágios existenciais importantes e intransferíveis. Na terceira e na quarta idades, a sabedoria feminina - acumulada ao longo de muitas décadas-, deve ser respeitada pelas gerações mais jovens, porquanto repleta de valiosos ensinamentos. 
 
 

          O completo bem-estar social da mulher é um longo caminho que, somente há pouco tempo, começou a ser percorrido. Por muitos e muitos séculos, o único direito da mulher foi o de não ter direito algum. A violência física foi o primeiro instrumento utilizado para "comprovar" a superioridade do homem sobre o "sexo frágil". Ao longo da história, os ditames religiosos e a tradição dos costumes incumbiram-se de consagrar as desigualdades entre os gêneros, reduzindo a expressão social da mulher à nulidade intelectual, ao silêncio político, impondo-lhe a dependência econômica e transformando-a em adorno masculino para festas, utilitário doméstico, objeto sexual e fábrica de filhos. Nos últimos cem anos, alguns direitos básicos foram conquistados: o ingresso na universidade não é mais uma prerrogativa exclusiva dos homens; com o advento de métodos anticoncepcionais eficazes, a mulher deixou de ser refém de sua fertilidade, passando a programar a ocasião e o número de gestações, bem como o intervalo entre elas; com a remuneração do trabalho, ela pode alcançar a autonomia financeira, libertando-se da dependência que oprime e humilha. A discriminação preconceituosa curva-se diante das evidências que se acumulam a cada dia, cedendo lugar ao reconhecimento dos méritos femininos em todos os setores de atividades humanas. Nas ciências, nas artes e na política, ampliam-se a sua presença e participação, alicerçadas no conhecimento profissional, na liderança, no espírito empreendedor e em sua aguçada sensibilidade vivencial.  Apesar de tudo isso, a violência sexual contra mulheres e meninas ainda persiste, mesmo nos países mais desenvolvidos, motivando a indignação internacional, conforme expresso nos relatórios da Organização das Nações Unidas.  A saúde social feminina passa obrigatoriamente pela educação (sensu latu), pelo acesso à informação e pela conscientização - individual e coletiva - de que não há mais espaço para o antagonismo espúrio entre os sexos, de que os objetivos masculinos e femininos são complementares - e se conjugam - para alcançar um objetivo maior: o bem-estar da Humanidade.
          Resumindo: GO com . ponto é uma página de Medicina - de Ginecologia e Obstetrícia - dirigida aos médicos especialistas desta área, e dedicada a todo o público feminino.

Dr. Carlos Antônio da Costa

 
Untitled Document
Página inicial     Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios HONcode.

Verifique aqui.