Dr. Carlos Antonio da Costa
   Rio de Janeiro - RJ - Brasil.                           
 
          Esta página integra o Departamento de Câncer Ginecológico e das Mamas de GO com ponto e tem por objetivo repercutir notícias, artigos, links, opiniões e conjecturas acadêmicas pertinentes ao escopo deste Departamento. "Percepções e Reflexões" tem como público alvo médicos especialistas em G&O.                   Escrito e editado pelo Dr. Carlos Antônio da Costa.
 
    Você está na pagina 1   -                         Última atualização da página 1: 20.06.2012 - 11:37 AM
    Ir para a página 2- 3 - 4 - 5 - 6 - 7
20.06.2012 - DIRETRIZES BRASILEIRAS SOBRE CÂNCER DE OVÁRIO.
         O Ministério da Saúde, por meio da Portaria 458, de 21 de maio de 2012, publicou as novas Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para as Neoplasias Malignas Epiteliais de Ovário. Veja o que mudou sobre o assunto no nosso Departamento de Câncer Ginecológico e das Mamas.
 
20.06.2012 - A INCIDÊNCIA DO CÂNCER NO BRASIL - ESTIMATIVA INCA 2012.
        Uma ferramenta imprescindível para o planejamento de ações - em todos os níveis governa- mentais - que busquem a prevenção primária e secundária das neoplasias malignas. Acesse aqui.
 
20.06.2012 - ADJUVANTONLINE - O PESO E A MEDIDA .
         Adjuvantonlie.com é um site para médicos (não para pacientes) que tem por objetivo fazer estimativas dos possíveis benefícios das terapias adjuvantes (químio, rádio e hormonioterapia), ponderando com os riscos e efeitos colaterais desses tratamentos, diante de um caso específico. Ginecologistas e mastologistas poderão se utilizar dessa ferramenta nos casos de câncer de ovário e das mamas. Vale a pena conferir.
 
16.09.2010 - HPV: VACINAS TERAPÊUTICAS.

       Apesar das vacinas - a bi e a tetravalente - contra o HPV terem sido um passo importantíssimo na prevenção do câncer do colo uterino, serão necessários muitos anos para que a imunização contra os HPVs 16 e 18 tenham algum impacto sobre a prevalência e a mortalidade por essa neoplasia. Isso ocorre porque é alta prevalência de infecções por HPV, pelo fato da carcinogênese cervical ser de evolução lenta e também porque o preço da vacina ainda é alto para as camadas mais pobres da população, camada esta que também agrega outros fatores de risco para este tipo de câncer. É, portanto, desejável (e urgente) que sejam criadas vacinas terapêuticas; vacinas cuja base é gerar uma resposta imune célula-mediada que, ativando células T-killer poderiam destruir células infec- tadas pelo HPV, eliminando as lesões preexistentes. As oncoproteínas E6 e E7 representam alvos ideais para a intervenção terapêutica por causa de sua expressão constitutiva em tumores associados ao HPV e seu papel crucial na indução e manutenção de doenças associadas ao HPV.
       Atualmente, existem várias abordagens para a criação de uma vacina terapêutica, incluindo a baseada em vetores, em pepitídios/proteínas, em ácidos nucléicos e em imunidade celular, tendo como células-alvo aquelas que abrigam os antígenos E6 e E7. As vacinas terapêuticas contra o HPV encerram uma promessa que, se concretizada, representará a maior revolução até hoje conhecida para o tratamento do câncer do colo uterino.

Referência: Current Status of HPV Vaccines - Barbara Ma, Richard Roden, and T.C. Wu - J Formos Med Assoc. 2010 July; 109(7): 481–483.

 
16.09.2010 - VACINA PREVENTIVA CONTRA O CÂNCER DE MAMA.

       Vacinas contra o câncer são o Santo Graal para os pacientes e médicos. A possibilidade de que podemos ser vacinados contra cânceres comuns é muito atraente e as conseqüências sócio-econômi- cas são significativas.
      Um estudo recente do grupo de Vincent Tuohy, publicado na revista Nature Medicine, em maio de 2010, sugere uma nova abordagem para o desenvolvimento de uma vacina profilática para câncer de mama. Sua estratégia foi induzir a insuficiência da glândula mamária, em camundongos pela imunização com um anticorpo específico para uma proteína do leite, que resultou em auto-imunidade durante a lactação. Este também mostrou alguma eficácia como uma vacina terapêutica.

Referência: An autoimmune-mediated strategy for prophylactic breast cancer vaccination -Vincent K Tuohy et al. - Nature Medicine 16, 799 - 803 (2010) Published online: 30 May 2010 | doi:10.1038/nm.2161