Dr. Carlos Antônio da Costa
   Rio de Janeiro - RJ - Brasil.                                
 
          Esta página integra o Infertilidade Conjugal de GO com ponto e tem por objetivo repercutir notícias, artigos, links, opiniões e conjecturas acadêmicas pertinentes ao escopo deste Departamento. "Percepções e Reflexões" tem como público alvo médicos especialistas em G&O.                                                      Escrito e editado pelo Dr. Carlos Antônio da Costa.
 
Última atualização: 26.09.2011 - 06:09 PM   
26.9.2011 - DIENOGESTE: O PROGESTÁGENO DA VEZ.

          As propriedades farmacológicas do dienogeste o tornam um progestágeno muito versatil. Depois de fazer a sua estreia, associado ao valerato de estradiol, na composição do primeiro contra- ceptivo tetrafásico, o dienogeste também é mais uma alternativa para o tratamento - como monoterapia - da endometriose.
          O Visanne® (2 mg de dienogeste) foi o grande protagonista do último Congresso Mundial de Endometriose, ocorrido entre os dias 4 e 7 deste mês, em Montpellier, França. Na verdade, esta medicação já havia sido apresentada aos ginecologistas em 2010, durante um simpósio satélite, no 13° Congresso Mundial sobre Controvérsias em Ginecologia, Obstetrícia e Infertilidade (COGI), que aconteceu no Hotel Maritim, em Berlim, Alemanha, de 4 a 7 de novembro.
          O dienogeste, na dose diária de 2 mg foi extensamente estudado no tratamento de longo prazo da endometriose. Vários ensaios clínicos, dois deles com duração acima de 65 semanas, foram realizados na Europa e no Japão. Estes estudos demonstraram que o dienogeste é eficaz, seguro e bem tolerado pelas pacientes para o tratamento a longo prazo. A intensidade da dor associada à endometriose diminuiu progressivamente. Os efeitos adversos mais frequentes foram o sangramento irregular, cefaleia (9.0%), sensibilidade mamária (5.4%), humor deprimido (5.1%) e acne (5.1%).
          Nos Estados Unidos, os estudos sobre o Visanne® encontram-se na fase III. Eu não estranha- ria se o FDA aprovasse esse medicamento na véspera do 60° Encontro Anual da ACOG, que acontecerá em San Diego, California, entre os dias 5 e 9 de maio de 2012. Aliás, foi exatamente isso o que aconteceu, em 2010, com o Natazia (dienogeste + valerato de estradiol), o nosso Qlaira. Seguindo a sequência natural, o Visanne® terá no Brasil um outro nome... - Alorenne ? - e estará em nossas farmácias entre o segundo semestre de 2012 e o primeiro semestre de 2013. Aqui, como lá, será um sucesso de vendas.
          Só para registro: alguns acreditam que o dienogeste (17-hydroxy-3-oxo-19-nor-17α-pregna-4,9-diene-21-nitrile ou STS 557) é uma substância nova. Mas não é. A síntese do dienogeste ocorreu em 1979, em Jena, Alemanha, pela equipe chefiada pelo Prof. Kurt Ponsold.

   *Para saber mais sobre o tratamento da endometriose com dienogeste 2mg/dia, clique aqui.

   *Leia também o guideline da Society of Obstetricians and Gynaecologists of Canada, publicado no The Journal of Obstetrics and Gynaecology Canada em julho de 2010.

 
07.09.2010 - CAUSAS E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE.

          Começa depois de amanhã, em Portland Place, no coração de Londres, a 2ª Conferência Nacional sobre Medicina Reprodutiva. Entre os temas que serão discutidos, nos dias 9 e 10 de setembro, estão: questões atuais e controvérsias em Medicina Reprodutiva; o impacto do estilo de vida sobre a fertilidade; tratamento do câncer - no homem e na mulher - e preservação da fer- tilidade; avaliação da reserva ovariana; síndrome dos ovários policísticos; endometriose; infertilidade inexplicada; Chlamydia trachomatis e fertilidade masculina; manejo dos abortamentos recorrentes; células "natural killers" e falha reprodutiva; medicamentos para a fertilidade e seus efeitos colaterais; questões éticas e judiciais em Medicina Reprodutiva; fatores psico-sociais da infertilidade; utilidade clínica do hormônio anti-mülleriano em reprodução assistida; maximizando a eficiência da FIV; controvérsias e desafios no diagnóstico genético pré-implantacional; avaliação das atuais tecnologias de reprodução assistida; desafios e opções de manejo da falha de implantação recorrente na fertilização in vitro; vantagens e limitações na utilização de embriões congelados, etc. Quem puder, não deve deixar de ir.