Rio de Janeiro - RJ - Brasil.                                                              
Página inicial Dr. Carlos Antônio da Costa
Artigos de divulgação científica em ginecologia, escritos pelo
Dr. Carlos Antônio da Costa
TEGO 035/79
ANO I - NÚMERO 8 - NOVEMBRO DE 2003. ÚLTIMA REVISÃO: MARÇO DE 2009.

AUTO-EXAME DAS MAMAS

      O diagnóstico precoce do câncer de mama ainda é a melhor maneira de se diminuir os índices de mortalidade causados por essa doença. No Brasil, mais da metade dos casos de câncer de mama são diagnosticados em estágios avançados. Se as estimativas do Instituto Nacional do Câncer, para 2009, se concretizarem, teremos neste ano mais de 49 mil novos casos dessa patologia, dos quais pelo menos 25 mil terão um péssimo prognóstico.

      A precocidade no diagnóstico do câncer de mama é diretamente proporcional ao nível de conscientização - educação - da população feminina em questão, e da facilidade de acesso que essa população tem em relação aos meios de diagnóstico (mamografia). Nos países desenvolvidos, onde 80% dos novos casos são diagnosticados precocemente, o acesso a mamografia é promovido pelo Estado, tornando-se o principal método de rastreamento do câncer mamário. No Brasil, demos um passo importante nesse sentido com a instituição, pela Lei Nº 11.695, de 12 de junho de 2008, do "Dia Nacional da Mamografia". Gostaríamos que, após a necessária regulamentação, esta lei garantisse a todas as brasileiras o fácil acesso - nos 5.569 municípios - à realização desse exame , instrumento fundamental para a diminuição da mortalidade por essa doença em nosso país. A mamografia - para aquelas que não sabem - é uma radiografia especial dos tecidos internos das mamas, capaz de mostrar áreas suspeitas de malignidade antes mesmo que elas possam ser palpadas.

A mamografia é uma radiografia especial dos tecidos internos das mamas, capaz de mostrar áreas suspeitas de malignidade antes mesmo que elas possam ser palpadas.

       Mas, enquanto o fácil acesso à mamografia não se tornar uma realidade para todas as brasileiras, o auto-exame, somado ao exame cllínico das mamas (feito por médico) continuarão sendo métodos auxiliares importantes para o diagnóstico de diversas patologias mamárias. Mudanças na textura da pele (retrações, abaulamentos, “eczema nos mamilos”), perda de secreções anormais e a constatação de nódulos (caroços) são ocorrências que requerem atenção médica para serem esclarecidas quanto à sua causa. É importante saber que 95% dos nódulos mamários são benignos. Portanto, toda mulher, depois dos 20 anos de idade, deve fazer mensalmente o auto-exame das mamas, 4 a 6 dias depois do término da menstruação.

       As etapas para o auto-exame são:

 
1. Diante do espelho, procure observar alguma alteração na pele ou no contorno das
      mamas, como retrações e abaulamentos.
 
2. Levante os braços, colocando-os atrás da cabeça, e perceba se, com esse movi-
     mento, surge alguma área de repuxamento na pele ou no mamilo.
 
3. Ainda em frente ao espelho, pressione as mãos de encontro aos quadris,
      contraindo os músculos do peito.
 
4. Durante o banho, palpe as mamas com as pontas dos dedos, e note se há alguma
     alteração do tecido glandular, como nódulos ou caroços, por exemplo.
 
5. Examine ambas as mamas, fazendo movimentos circulares desde a parte mais
     externa até o mamilo.
 
6. Pressione, delicadamente, a aréola e o mamilo e observe se há, ou não, saída de
      alguma secreção anormal (sanguinolenta).
 
7. Deitada, com um dos braços sob a nuca, repita a palpação das mamas usando a
      ponta dos dedos.

      Para ilustrar a prática do auto-exame das mamas, assista aqui o vídeo (em espanhol).

       Além do auto-exame, a mulher deve  procurar o seu médico para fazer o exame clínico das mamas. Mesmo que aparentemente tudo esteja bem no auto-exame, as mamas devem ser examinadas clinicamente de três em três anos, entre os 20 e os 39 anos, e anualmente após os 40. A mamografia, por sua vez, deve ser feita pela primeira vez aos 35 anos, a anualmente depois dos 40.

--------------------------------------------------------------------

  Para saber mais sobre este assunto:

  Projeto Diretrizes Câncer de mama - Prevenção primária - Sociedade Brasileira de Mastologia e Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, 2002.

  Projeto Diretrizes Câncer de mama - Prevenção secundária - - Sociedade Brasileira de Mastologia e Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, 2002.

  Conhecimento e Prática do Auto-exame das Mamas - Ruffo F. Júnior & cols. - Rev Assoc Med Bras 2006; 52(5): 337-41.

  Rastreamento do câncer de mama no Brasil - Luiz Henrique Gebrim & Luis G. A. Quadros - Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.28 no.6 Rio de Janeiro June 2006.

 

Lembramos que os textos da série "A Saúde da Mulher" têm caráter estritamente informativo e de apoio,
não substituindo - em hipótese alguma - as relações de confiança entre médicos e pacientes. (CAC)